Um lugar para meditar- Paúl da Tornada

       Deiam-me uma máquina fotográfica, um charco e um observatório...e já me têm entretida por uma grande temporada!!!! Por vezes pensamos que ao viajar a lugares longe do nosso meio habitual é a única forma de obter e observar paisagens e espécies de animais e plantas interesantes para fotografar. É certo que umas paisagens da Islândia ou da Noruega nos prendem pela sua beleza enerente... mas não nos devemos restringir a este mito da "Beleza distante", pois a a beleza está ao nosso lado todos os dias, mas hà que ter olhos para a ver! 

       Costumo passar largas temporadas pela zona Portuguesa que se encontra entre a Nazaré e as Caldas da Rainha. Se vos pergunto "que me dizem desta zona?", o mais habitual é falarem-me das lindas praias e dos surfistas da Praia Norte... que também é uma verdade!!! Mas hoje vou-vos falar de um pequeno lugar, com um grande charco e detentor de uma grande biodiversidade e sobre tudo, um lugar para arrumarmos as nossas ideias e refletir sobre a ação que a dita "Humanidade inteligente" está a levar a cabo no nosso planeta. Durante três anos propus-me fotografar a maior quantidade de biodiversidade possivel e tenho tido bons resultados, em especial desde que colocaram dois observatórios junto ao charco. Faltam me os mamíferos e algumas aves. Mas as lontras são muito difíceis de fotografar, como quase todos os mamíferos. Têm um olfato muito desenvolvido e antes de entrarmos nos observatórios já eles tiveram tempo suficiente para se esconderem.

       Este lugar está escondido ao lado de uma estrada nacional secundária, num lugar chamado "Tornada". É um local "camuflado", pois, apesar do seu fácil acesso é pouco conhecido e tem pouca divulgação. Aqui podem-se encontrar os cágados europeus que estão em perigo de extinção, os quais são muitas vezes roubados para serem vendidos na feira de Pataias. Muitos deles acabam como animais ornamentais de jardins, sem a possibilidade de se reproduzirem. Suponho que a população em geral, se encontra mal informada e pensa que os cágados adquiridos ou encontrados são identicos aos que se vendem nas lojas de animais (as tão conhecidas tartarugas americanas). Deixo algumas das imagens que registei durante várias horas que aí passei, com a promessa de voltar, ano após ano.


Galeirão- Fulica atrea


Galeirão- Fulica atrea


Galeirão- Fulica atrea      Luta territorial


Camão- Porphyrio porphyrio

 

 
_B4A4793-2.jpg
Mergulhão pequeno- Tachybaptus ruficollis

_B4A2363.jpg
Garça branca- Egretta garzetta

_B4A4565-2.jpg
Garça real- Ardea cinerea

_B4A4620-2.jpg
Rouxinol pequeno dos caniços- Acrocephallus scirpaceus

_B4A4825-2.jpg
Guarda rios- Alcedo atthis

_B4A4881-2.jpg
Garça vermelha-  Ardea purpurea

_B4A2008_0.jpg
Libélula ( ? )

_B4A2284.jpg
Libélula ( ?)

_MG_4030.jpg
Brachythemis impartita

_B4A2293.jpg
Cágado de carapaça estriada- Emys orbicularis

_B4A4896-2.jpg
Galápago leproso- Mauremys leprosa

 

Desafio

Subscribe to Dentro da câmara escura -  Diário de uma fotógrafa da natureza RSS