Fotografías comentadas

Artigo: 

As duas estrelas

Sempre que se pretende dar protagonismo a um objeto fotográfico, neste caso a flor amarela, ao utilizar uma grande angular, os objetos que estão num primeiro plano adquirem grande protagonismo. Esta é uma das propriedades das lentes designadas de grandes angulares. Neste caso o protagonismo foi realçado ao isolar uma das flores num espaço luminoso, quase de contra-luz. Utilizou-se um F pequeno (11) para originar esse efeito de "raios solares" que parecem sair do sol. Se fosse um F maior (4 ou 5) esses "raios solares" não apareceriam. Utilizando uma grande angular a 26mm, F11, Iso 100.

 

 

Macro e micromundo

Iso 160, 50mm, F2,8.

Esta fotografia foi elaborada com uma lente macro de 50mm.

Para ficar com este desfoque é importante que o objeto fotografico que queremos registrar, neste caso as diminutas cápsulas de musgo, estejam distantes do fundo principal. Neste caso o musgo estava em cima de um muro o que facilitou a tal distância ao primeiro plano de fundo. No caso de uma lente macro basta que o primeiro plano esteja a uma distância de alguns centímetros aliada a uma abertura grande de diafragma (2,8) para que produza um desfoque grande pondo em evidencia o sujeito fotográfico.

Tendo o sol por detrás do musgo (em situação de final de tarde- "Pôr do sol"), pousei a máquina fotografica no muro (não tinha o tripé) e tentei que a luz incidente fosse um pouco lateral e não tão traseira. Se fosse totalmente traseira apareceria um contraluz. Também seria bonito mas essa não era a minha intenção. Depois, e devido a ser um "quase contraluz" aparecem esses "raios de sol"que são artefactos da própria lente, que deram um efeito à fotografia que me agradou muito.