O objectivo do Blog

Artigo: 

Sobre a Autora:

 

 

Sou bióloga. Nasci no Porto e atualmente vivo em Espanha. De criança, gostava muito de tudo o relacionado com a natureza e com as artes. Cresci numa constante ambivalência entre estes dois mundos. Estudei Biologia na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e, ao mesmo tempo, assisti a aulas de pintura com o pintor Português Helder Bandarra. Depois de terminar a minha licenciatura visitei vários lugares, tais como: Egito, Cabo verde, Kenya, Caraíbas, Tanzânia, Canadá, Israel, Istambul, Cuba, Praga, Açores, Islândia e grande parte da Europa, o qual contribuiu de forma significativa para a minha “sede” de captar imagens, cores e momentos. Tinha uma máquina fotográfica compacta, com a qual ia guardando memórias fotográficas as quais passava para as telas de pintar.

No ano de 2006, devido ao nascimento dos meus filhos gémeos, tive que deixar a pintura por falta de tempo. Então voltei a pegar na minha antiga máquina fotográfica. Em 2009, quando voltei a África, rapidamente me dei conta de que esta já não me satisfazia em termos de estética e de objetivos fotográficos e adquiri uma digital DSRL da qual nunca mais me separei. Sendo auto-didata, assisti a um curso de fotografia on-line do fotografo Espanhol José Benito com o qual me identifiquei na sua faceta “purista” da fotografia. Não utilizo o retoque fotográfico, apenas os ajustes necessários inerentes a um ficheiro raw.

Continuo fascinada com o mundo da fotografia onde finalmente posso juntar a natureza com a arte.

Actualmente faço parte de AEFONA  (Asociación Española de Fotógrafos de Naturaleza)- www.aefona.org

Algumas considerações sobre fotografia de natureza:

Em alpinismo existe um desafio que se chama os “Setes cumes”, que é o de atingir o cume do pico mais alto de cada continente. “A primeira montanha da lista é obviamente o Everest (8848m), o pico mais alto do mundo. A segunda montanha nesta ordem, a maior da América do sul, é o Aconcágua (6959m). Este desafio dos “Sete cumes” considera também a América do Norte, onde o topo é o McKinley (6194m) no Alasca. O ponto mais alto de África é no alto do Kilimanjaro (5895m), na Tanzânia. Na Europa o Monte Branco foi considerado durante muito tempo o mais alto, mas na verdade este estatuto pertence ao Elbrus, (5642m), que fica no Cáucaso russo. A pirâmide de Carstenz (5029m) é o pico mais alto da Oceânia. O Vinson, no sétimo contimente, completa a lista.”  (João Garcia in “Mais além, depois do Everest”). Entenda-se que o sétimo continente é a Antárctida.
Eu também tenho o objetivo dos “sete cumes”... sendo uma metáfora da minha vida, eu ainda tenho alguns cumes a conquistar! Um deles é escrever o meu próprio blog e aqui estou. Vou dedica-lo à proteção do nosso planeta, utilizando para tal a fotografia...

Também tenciono promover a partilha de conhecimento relativo à fotografia e sua execução, fazendo deste blog um "Diário de um fotógrafo de natureza". Este foi o maior dos meus problemas, quando , de um modo auto-didata, resolvi começar a fazer fotografia. Desde então compreendi que gostaria de registar e compartir com os outros o que existe neste vasto Planeta e de algum modo poder contribuír para a sua proteção e conservação, utilizando para isso a fotografia.  Como tal tive que buscar conhecimento técnico fotográfico e ultrapassar o modo “Automático” das máquinas fotográficas.
Neste “Cume” da fotografia deparo-me, muitas vezes, com situações de partilha de fotografias nas quais não existe qualquer vontade de explicação na prática da sua obtenção. São poucas as pessoas que “revelam” os seu segredos da fotografia. Quanto a mim, a fotografia não tem tantos segredos, que não possam ser partilhados. Podemos  partilhar a técnica fotográfica…já o sucesso do fotógrafo depende exclusivamente do seu empenho e talento. .. e isso não se pode ensinar…é pessoal. O sucesso também é relativo! Podemos ser bem sucedidos para um determinado perfil de pessoas e não ser entendido nem compreendido para outros. Assim o melhor será sermos fiéis a nós mesmos e fotografar o que realmente gostamos…caso não dependamos da fotografia como atividade profissional.  A fotografia de Autor é a que mais me seduz e em especial a fotografia de natureza.
Quanto á tecnica fotográfica, é uma pena que grande parte da humanidade ainda insista em não querer partilhar o conhecimento. Seriamos mais felizes se aprendessemos a partilhar. Tal como no Alpinismo, ninguém chega ao cume do Everest sem a implicação de muita gente… dos Iaques, dos Sherpas, dos Carregadores de altitude, etc, etc….
Durante as minhas pesquisas sobre fotografia encontrei muita informação, normalmente dedicada aos iniciantes e que geralmente não passa de uma cópia dos livros de instruções das máquinas fotográficas de altas prestações. Também vi muita informação sobre processamento fotográfico. De tudo o que pesquisei recomendo vivamente um curso on-line grátis Espanhol “Un año de fotografia”, o qual mudou o rumo do meu caminho fotográfico. Um excelente curso dado pelo fotógrafo Espanhol  José Benito, que realmente me ensinou os fundamentos da fotografia purista sem necessidade de recorrer ao retoque fotográfico. Fiquei aliviada, da necessidade de passar imensas horas com o computador em volta do Photoshop e Lightroom, em processo de edição fotográfica. Atualmente, apenas edito as fotografias em Raw, utilizando os parâmetros gerais de edição- contraste, luminosidade, nitidez, altas luzes e negros.

Para terminar gostaria de explicar que um fotógrafo de natureza está ligado a um código ético em que a preservação de uma determinada espécie animal está em primeiro lugar do que a obtenção da fotografia, ou seja, seria impensável tirar uma fotografia de um ninho de aves, sabendo que as crias poderiam ser abandonadas pelos progenitores, devido ao stress provocado pelo fotógrafo.

Seja bem vindo ao meu blog e deixe as suas criticas construtivas! Qualquer dúvida que tenha e que eu a possa clarificar, contacte-me!

Isabel Montenegro