A vida num charco

Num charco, a biodiversidade é enorme. Os anfíbios necessitam de água para se reproduzirem e utilizam estes pequenos hábitats para tal. De um modo geral a reprodução acontece nos meses da primavera e outono.  Os tritões depositam os seus ovos em pequenas folhas aquáticas e podem passar muito tempo no charco. As salamandras depositam as suas larvas diretamente na água. As suas larvas são aquáticas e os adultos são exclusivamente terrestres, tal como os sapos. Os sapos depositam os ovos dentro do charco e vão-se embora. A metamorfose dos girinos de sapo é, de uma forma geral e dependendo da espécie, bastante rápida, durando aproximadamente um mês. O período de reprodução da rã verde acontece entre abril e maio e a metamorfose dos seus girinos é muito mais demorada, podendo demorar quatro meses. Também aparecem as libelinhas que vão depositar os seus ovos em plantas aquáticas ou dentro da água do charco. As larvas das libelinhas têm uma parte do seu cilco de vida debaixo de água. As suas larvas são aquáticas e só depois, quando a ninfa está pronta, começa a subir pelas plantas aquáticas para fora da água libertando-se do seu exoesqueleto e transformando-se em libélula adulta.

page: